sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Menos sal é igual a mais sabor e saúde




Menos sal é igual a mais sabor e saúde: "Você já parou para pensar no quanto consome de sal por dia? Se ainda não, é melhor começar a verificar o quanto coloca desse ingrediente na suas refeições. Isso porque o sal é rico em sódio e, apesar de ser uma substância essencial para manter o equilíbrio de líquidos no corpo e ajudar na transmissão de impulsos nervosos e no relaxamento muscular, faz mal se você consumi-lo em excesso. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é não..."

http://feedproxy.google.com/~r/mv_alimentação/

Mudar hábitos alimentares é sempre um grande desafio,Fomos educados exatamente ao contrário e achamos realmente difícil cozinhar sem sal, como se o sal tivesse algum efeito no sabor ou preparo  dos alimentos.A matéria mostra o quanto isto é inadequado cozinhar com sal  Sabor está associado a temperos naturais,-coentro, salsa, cebolionha, alecrim, louro- que deixamos de usar e hoje compramos industrializados..


.
Atualmente enfrentando problemas com doença  que tenho que controlar o uso do sal , deparei-me com grandes dificuldade e a fo realmente quando comecei a perceber  como vivemos numa cultural industrial do sal.( e o pior: SAL REFINADO) 
Tudo tem sal nos alimentos industrializados, conservados...
Comecei a ler rotulo, alguns tão pequenininhos que voce tem dificuldades para  ler os mesmos.Padronizados  assim para não ler.Aliás cada empresa rotulagem tem um tamanho e apresentação diferente. E afinal que olha rótulos de alimentos? 


Pão: que pão não tem sal:?Os pães integrais contem sódio no seu preparo ?...Queijos nem se fala..
Tenho a agora o desafio de reorganizar a alimentação.
Comer fora, virou problema.


Nem sempre os estabelecimentos comerciais colocam rótulos nos alimentos principalmente os queijos...A Vigilância Sanitária tem fôlego para ver tudo , claro que não. Sobra ao cidadão e cidadã e aos donos dos estabelecimentos, que  podem não estar preocupados nem vigiam esta norma...nem tem tem´po para monitorar issso.
Quando falamos em alimentos saudáveis geralmente estamos ligados a questão de gorduras trans, saturadas, produtos diet ou light..Mas na questão da salinidade não vejo nada....


Acho que comprar uma terrinha e morar  longe dos mercados e supermercados.
Será que a gente aguenta?


Clique na no Tema do arquivos e leia toda matéria,,quem sabe você ]e não começa a mudar sua visão adota no padrão , e assim proteger voce  mesma e os familiares da salinização.

E as crianças desta cultura caminham para diabetes, hipertensão e vezes insuficiencia reanla com tanto sal: nas batatinhas fritas, no sanduíches, nas pizzas, nos presuntos, maioneses,catchup, azeitonas, aqueles salgadinhos que as crianças vão comendoo sem parar, e lgumas  mãese dão para as crianças deixar de pertubar(usados especialmente em viagens..haja sal e ha vontade de tomar água e sobrecarregar o rim!!!)....
Se para nós , já está tardio recuperar a saúde, pelo menos eduquemos as crianças ...Por onde começar :Na família onde devemos ir cozinhando sem sal.
Cada um coloca  depois. quando for alimentar-se. não dentro da panela

Há alguma grande dificuldade  nesta nova orientação nutricional ?



























Ai voce se dá conta, de que vivemos na cultuira do sal. Hotéis mesmo os ditos de qualidade, todos cozinham com sal....
Ai o  Médico diz a sr. te, que comer com pouco sal, e a gente fica ouvindo aquilo e relacionando o sal que eu coloco? E os caldos de galinas, carnes, sopas em pacote, molho de tomate, shoyo, comida chinesa nem pensar....
Pode ser fácil adquiri o conhecimento, o dificil é vivenciá-lo na mudança de sua p´ropira aiotude no lar,
Mas se voce trabalh fora e tem uma lesão hepática, do baço, do pãncreas, hipertensão, como minimizar o sal na alimentaçõ.
Restaurantes vegetariano também põe sal no cozimento?




Um bom-dia-Sõnia-Londrina


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários que contribuam para melhorar o BLOG,Mensagens similares,voltadas para o bem-estar humano.
paz,unidade,educacao,cidadania,familia,espiritualidade,direitoshumanos,bahai